Receba meu informativo

Clube do América coloca a Tijuca em cheque – Um jogo sem planejamento

1

Mais um clube falido do Rio coloca em cheque o bairro da Tijuca. Quer que lhe seja dado, de presente, o direito de fazer um shopping em seu enorme terreno no bairro, na Rua Campos Salles. O clube está decadente e deteriorado? Sim

O clube provou que as dezenas de milhares de reais que pleiteia ganhar, de presente, da Câmara de Vereadores do Rio será revertido para o seu proveito e dos seus atletas? A resposta é não !

01

A conversa é a mesma de sempre; que o complexo de edifício e o shopping a ser negociado no terreno trará muitos empregos e revitalizará a região.

Sobre a inconsistência destes argumentos, usados pelos interessados usuais, através de seus arautos parlamentares, já sabemos a resposta no Brasil que temos hoje. Mesmo assim, é o discurso repetido pelos vereadores do Rio que jogam, despudoradamente, para a plateia ali presente. Afinal, a mendicância de parte dos vereadores (com honrosas e raras exceções) por eventuais votinhos para um futura reeleição é fator obnubilante daquelas mentes legislativas. E fazem isto com proficiência, deve ser reconhecido.

A proposta legislativa, já em 2ª votação, é tão elementar que faria ruborizar o cidadão mediamente esclarecido de qualquer cidade do século XIX. Pretende aplicar ao enorme terreno do Clube América – e só para ele – índices de edificação do centro de bairro!

Com lucidez, o vereador Renato Cinco, questiona, e a consulta à comunidade local através de audiência pública? Houve? Não.

E os Estudos de Impacto de Vizinhança, serão exigidos? Não. Aliás, o corajoso vereador questiona, com razão, se o Parlamento não deveria aprovar a proposta legislativa que regulamenta os Estudos de Impacto de Vizinhança, antes mesmo que apreciar qualquer novo projeto de lei que vise fazer alterações pontuais na lei de uso do solo.

Em resumo; ignorância ou má fé, uma ainda maioria parlamentar na Câmara de Vereadores do Rio, sem qualquer pudor, pretende dar milhares de reais em índices construtivos ao Clube América ou a seus dirigentes, sem qualquer contrapartida para Cidade.

Sem cobranças de impactos viários, ambientais, de infraestruturas de saneamento, áreas livres públicas, entre outros. E, o pior, sem nenhuma garantia de que o dinheiro arrecadado nestas vendas de interesses públicos serão efetivamente revestidas no clube ou em ações sociais do mesmo.

Vimos isto como o Estado do Rio de Janeiro, este o mesmo discurso salvacionista de criar empregos faliu o próprio Estado.

Confira as discussões no plenário da Câmara

Confira as perguntas sem respostas relativas ao projeto de lei

 

Deixe um comentário



* campos obrigatórios.
  • Fundação Bio-Rio, na UFRJ: alvo de investigação do MP 13 | Abril | 2017
    Fundação Bio-Rio, na UFRJ: alvo de investigação do MP
    0

    Mais um caso de ilícito financeiro envolvendo uma fundação de pesquisa, no campus tecnológico do Fundão, da precarizada UFRJ. Este caso ocorre na vida universitária, no campus da maior e mais antiga universidade federal no Rio, ao lado da área que o Município do Rio, no governo Paes, cedeu cinco hectares de terras públicas, por 50 anos, de graça, à General Electric (GE), na Ilha de Bom Jesus, para que esta empresa ali construísse seu edifício de pesquisa tecnológica! Leia aqui. (mais…)

  • América F.C. – História diz que shopping não salva clube 5 | Abril | 2017
    América F.C. – História diz que shopping não salva clube
    0

    Neste artigo do Urbe Carioca, a arquiteta urbanista Andréa Redondo destaca que “do mesmo modo que não há garantia de que estádios resolverão os problemas financeiros dessas instituições, é de se indagar se liberar a construção de shoppings, à custa do solo e da paisagem urbanas, salva clubes de futebol. E se salvar clubes de futebol à custa do solo urbano é devido”. Confira aqui. (mais…)

  • A faculdade de Engenharia de Buenos Aires: conheça por fotos. 29 | Março | 2017
    A faculdade de Engenharia de Buenos Aires: conheça por fotos.
    0

    Não sei se os estudos são bons, mas o prédio impressiona. E isso já é bom. A Faculdade de Engenharia, fica na Av. Paseo Colón. Seu prédio é uma construção imponente. Sensibilizou-me que ele subsista como escola pública. É a tradição mantida.   Por fora, bem cuidado. Por dentro, com a dinâmica de uma faculdade: cartazes, reivindicações, bicicletas guardadas, fotos de esportes e também a memória dos desaparecidos.   Veja o pequeno album de fotos especial para este tema.  

  • “Anatomia de um crime” 23 | Março | 2017
    “Anatomia de um crime”
    0

    Nesta reportagem, na qual fui uma das entrevistadas, a Agência Pública percorre a história do Maracanã, patrimônio cultural destruído com autorização do Iphan e abandonado pelo poder público depois de mais de R$ 1,3 bilhão gasto em obras suspeitas de alimentar a corrupção. Confira aqui. (mais…)

  • Áreas da Marinha continuam em foco: novo museu e nova polêmica à vista 22 | Março | 2017
    Áreas da Marinha continuam em foco: novo museu e nova polêmica à vista
    0

    Neste artigo, a arquiteta urbanista Andrea Redondo destaca que a imagem de projeto para a construção de um “novo museu” na cidade do Rio de Janeiro, onde funciona o Espaço Cultural da Marinha, publicada na mídia, já causa polêmica nas redes sociais.  (mais…)

  • Ruptura da reforma da Previdência 22 | Março | 2017
    Ruptura da reforma da Previdência
    0

    Notícia sobre a retirada dos servidores estaduais e municipais do texto da reforma da Previdência faz sua ruptura definitiva entre categorias de brasileiros. O argumento de que a retirada dos servidores públicos estaduais e municipais da reforma preserva a autonomia federativa e reduz o risco de judicialização é juridicamente falso. (mais…)

San Telmo - Março de 2017

Galeria completa aqui