Receba meu informativo

Secretário de Saúde do Rio quer ser servidor estatutário!

0

Contudo, esta mesma pessoa, na Secretaria de Saúde do Município, é a condutora da política de contratações temporárias dos médicos para o serviço público do Município, através de cooperativas privadas – ONGs, pelo regime trabalhista.

Pelas notícias, o secretário de Saúde do Município fez, em 2010, já no exercício do pesado cargo público de secretário, o concurso da Fiocruz, (entidade autárquica da União), para ser pesquisador daquela entidade, em regime de 40 horas, para ganhar R$4 mil fixos. Mas, como estava secretário, sabia que, sendo chamado, teria que optar por um cargo ou outro.

Quem faz um concurso público deve querer exercer o cargo para o qual de dispôs. E, a entidade que abriu vaga, no caso a Fiocruz, ao abrir a vaga, deve exigir que, efetivamente, os concursados exerçam as funções; pois, caso em contrário, por que abriria concurso e admitiria pessoal?

O secretário de Saúde do Rio fez o concurso, mas, ao que parece, no momento, somente quer a vaga estável, fixa, estatutária como reserva de seu futuro pessoal.

E, pelo que se observa, a instituição de pesquisa Fiocruz, que pleiteou a vaga pública, parece concordar em abrir mão de seu futuro pesquisador e ficar esperando, talvez, por mais quatro anos – sem qualquer pesquisa a ser feita por ele -, para satisfazer o projeto político-pessoal do concursado.

Isso porque a vaga dele não poderá, neste período, ser preenchida por outro candidato aprovado. O secretário vai “prender” a vaga de pesquisador para si, em prejuízo das supostas necessidades de pesquisa da Fiocruz .

Não é o exemplo a ser seguido. Imagine qual a moral que tem este secretário, na Secretaria que comanda, de exigir dos funcionários municipais estáveis o cumprimento efetivo de suas funções, se ele mesmo, o funcionário estatutário federal, tomou posse em cargo público e sequer estreou em exercê-lo, nem mesmo no período probatório constitucional? (confira abaixo)

O prefeito Paes, tão confiante que seu secretário, por seu pedido político, será dispensado pela instituição federal de pesquisa – a Fiocruz – de seu dever moral, e eventualmente jurídico de, após a posse, entrar em exercício efetivo do cargo para ali fazer, no mínimo, o estágio probatório constitucional, que até já fez sua nomeação futura para, a partir de 18 de março, ele voltar a ser secretário de Saúde do Rio.

Isto é que é desmoralizar o serviço público! Autoridade funcional, sem autoridade moral?

DECRETO “P” N.º 262 DE 18 DE FEVEREIRO DE 2013
O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso das atribui-
ções que lhe são conferidas pela legislação em vigor,
RESOLVE
Nomear HANS FERNANDO ROCHA DOHMANN, matrícula 60/253.541-7,
com validade a partir de 18 de março de 2013, para exercer o Cargo em
Comissão de Secretário Municipal, símbolo S/E, código 009309, da Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil.

Deixe um comentário



* campos obrigatórios.
  • “Os 90 dias que abalaram o mundo olímpico: Eike Batista e a caixa-preta que falta ser aberta” 20 | Outubro | 2017
    “Os 90 dias que abalaram o mundo olímpico: Eike Batista e a caixa-preta que falta ser aberta”
    0

    história olímpica nunca mais poderá ser contada sem um grande capítulo destinado ao Rio-2016. Não pela bela festa de abertura, mas pela porta dos fundos, coberta de uma mancha de corrupção. Um enredo ainda em andamento. Ao certo, já é possível saber que a parte de maior ação desta obra está concentrada em 90 dias que abalaram o mundo das Olimpíadas, em 2009, e que precederam a escolha da sede de 2016. Neles, o leitor do futuro irá encontrar o ataque final aos votos do bloco africano, compra de eleitores, doações emergenciais e milionárias de dinheiro às vésperas do pleito. Confiram a íntegra desta reportagem da Agência Sport Light aqui.

  • STF é um Colegiado? 11 | Outubro | 2017
    STF é um Colegiado?
    0

    Se o Supremo Tribunal Federal é um Colegiado, um tem que ouvir o outro até o final. Como então em importante julgamento, nesta terça-feira, dia 11 de outubro, houve ministros que se retiraram do plenário antes do final do julgamento? Poderiam, ao ouvirem, até modificar as suas opiniões. Deveriam ser mais disciplinados e dar exemplo de dedicação às suas funções. Salvo doença, o que justifica a saída definitiva de um Ministro do plenário antes de ouvir todos, até o final? Outras atividades? Além de falta de educação, é falta de respeito ao julgamento !

  • Parque do Flamengo enfrenta situação de abandono 11 | Outubro | 2017
    Parque do Flamengo enfrenta situação de abandono
    0

    Árvores sem poda, deck quebrado e banheiro químico sujo. Essas são algumas das reclamações dos frequentadores do Parque do Flamengo. A situação é mais crítica no trecho entre o posto 3 e a Rua Dois de Dezembro. Segundo a Secretaria Municipal de Conservação e Meio Ambiente, as obras de reestruturação foram interrompidas por causa de questões burocráticas no contrato de execução dos serviços em novembro do ano passado. (Confira aqui)

    Cadastre-se

    Receba notificações de novas publicações

     

    Praça do Teatro do Centro Histórico de Manaus

    Crédito: Sonia Rabello
                   

    Paisagem Cultural do Rio ameaçada pela obstrução de prédios

    Galeria completa aqui

    Cadastre-se

    Receba notificações de novas publicações

     

    Setembro/2017 - Praça em frente ao Teatro do Centro Histórico de Manaus

    Crédito: Sonia Rabello