Receba meu informativo

A cara das cidades: Buenos Aires, o Rio e a polêmica do “novo” Museu da Marinha

0

No momento em que estava para escrever um pequeno artigo sobre Buenos Aires e o seu tradicional bairro de San Telmo, apareceu, na mídia carioca, o anúncio do já polêmico “novo Museu Marítimo”, numa das áreas mais importantes da paisagem cultural da Cidade – o Cais dos Mineiros, na entrada da Baía.

65787142_ancelmo_gois_-_exclusivo_-

Reproduções

E o que isso tem a ver com Buenos Aires e o bairro San Telmo  e com o Rio e o “novo” Museu Marítimo? Tudo a ver. Sobretudo quando o tema é a preservação da “cara” da Cidade.

Buenos Aires tem feições e características que a singularizam. E por que sentimos isso quando flanamos por lá?

Porque lá não se demole continuamente o que foi construído. O que está feito, está feito. Deixam o que está construído existir, incorporando-se à paisagem afetiva da cidade.  

rua do bairro

Rua do bairro de San Telmo – Buenos Aires

O bairro de San Telmo é isso;  suas construções não são necessariamente “velhas”, antigas ou coloniais. O que está lá edificado fica lá, meio misturado e às vezes pouco conservado. Porém, dinâmico, vivo.

Quando passeamos pelo bairro temos a certeza que estamos em Buenos Aires e não em qualquer outra cidade do mundo. O que foi construído passa a pertencer à paisagem da cidade e passa a ser respeitado.

portas em casas do bairro

San Telmo – portas em casas do bairro

A polêmica do “novo” museu da Marinha é o contrário disso. Uns argumentam que ele é novo, pois foi totalmente reformulado em 1996, imitando um prédio português, sendo um falso histórico. É, precisam mesmo explicar muito isto – que ele não merece ser preservado porque ele não é velho o suficiente. Confunde-se aí o velho com o histórico.

Contudo, parece que o prédio que lá está, apesar de não ser “velho”, já é histórico na paisagem do Rio e aos olhos dos cariocas.  Ele já se integrou afetivamente na paisagem urbana da Cidade, e por isso merece ser respeitado. 

Se o Rio continuar no processo de substituição de tudo, – o velho porque já está velho, e o novo porque ainda não está velho -, vai perder, definitivamente, a sua cara urbanística. E com ela a memória afetiva da cidade construída pelas gerações que nos antecederam.

Apesar da nossa magnífica paisagem natural, perderemos a paisagem cultural e vamos todos passear em Buenos Aires, para ver como uma cidade preserva sua identidade urbanística, a sua cara.

Confira também:

Artigos da arquiteta urbanista Andrea Redondo:

“Áreas da marinha continuam em foco – Novo Museu e nova polêmica à vista”

“Cais dos Mineiros – Mais sobre o novo Museu da Marinha”

Coluna Ancelmo Gois 21.03.2017

“Marinha explica: prédio que dará lugar a novo museu não é `histórico´, mas de 1996

Deixe um comentário



* campos obrigatórios.

Paisagem Cultural do Rio ameaçada pela obstrução de prédios

Galeria completa aqui

  • E por falar em imóveis abandonados, não só os históricos … 20 | Julho | 2017
    E por falar em imóveis abandonados, não só os históricos …
    0

    Imóveis abandonados não são  só uma questão dos bens históricos preservados. É uma questão urbanística, como mencionamos em nosso blog desta semana!  Vale para bens públicos e privados, como ressalta este editorial da Folha SP.   Neste artigo destaco a seguinte frase: “Paris, antes de privatizar 23 grandes áreas, promoveu concurso internacional para selecionar as melhores propostas. Evitou, assim, a proliferação de condomínios ou shopping centers que nada acrescentariam à cidade.”  Por que não imitar? (mais…)

  • “Uso de redes sociais na política esmaga o futuro” 12 | Junho | 2017
    “Uso de redes sociais na política esmaga o futuro”
    0

    Nesta entrevista à Folha de São Paulo, um dos especialistas franceses mais renomados em ciências da comunicação defende uma concepção da comunicação que privilegia o homem e a democracia, ao invés da técnica e da economia. “Eu sou da opinião de que há mais inconvenientes do que vantagens das redes sociais na política. É uma perversão total achar que a ausência de atores intermediários melhora a política. Não há política sem atores intermediários”, destaca. Confira aqui. (mais…)

  • Serra de São Domingos é tombada como patrimônio estadual 5 | Junho | 2017
    Serra de São Domingos é tombada como patrimônio estadual
    0

    A Serra de São Domingos, de Poços de Caldas, foi tombada como patrimônio estadual. O tombamento foi realizado pelo Conselho Estadual do Patrimônio Cultural de Minas Gerais. “Conservar a Serra de São Domingos é, como afirma Sônia Rabello Castro, ‘proteger do dano, da mutilação e da descaracterização’ ”, explica Françoise Jean , diretora de Proteção e Memória do Iepha-MG. Confira mais aqui.

  • Legado Olímpico do Rio torna-se herança a lamentar 29 | Maio | 2017
    Legado Olímpico do Rio torna-se herança a lamentar
    0

    Neste artigo, publicado no Urbe CaRioca, o destaque do National Post, com um relato detalhado onde Scott Stinson faz várias indagações, desde sobre o paradeiro das sementes levadas por atletas durante a abertura dos Jogos Olímpicos – que seriam destinadas à formação de um parque no pólo de Deodoro – até o prometido tratamento de esgotos que nunca chegou. Confira aqui.

  • América F.C. – História diz que shopping não salva clube 5 | Abril | 2017
    América F.C. – História diz que shopping não salva clube
    0

    Neste artigo do Urbe Carioca, a arquiteta urbanista Andréa Redondo destaca que “do mesmo modo que não há garantia de que estádios resolverão os problemas financeiros dessas instituições, é de se indagar se liberar a construção de shoppings, à custa do solo e da paisagem urbanas, salva clubes de futebol. (mais…)

    Cadastre-se

    Receba notificações de novas publicações

                   

    Paisagem Cultural do Rio ameaçada pela obstrução de prédios

    Galeria completa aqui

    Cadastre-se

    Receba notificações de novas publicações

     

    Cais do Valongo: patrimônio mundial. E agora?

    Crédito: Sonia Rabello