Receba meu informativo

A cara das cidades: Buenos Aires, o Rio e a polêmica do “novo” Museu da Marinha

0

No momento em que estava para escrever um pequeno artigo sobre Buenos Aires e o seu tradicional bairro de San Telmo, apareceu, na mídia carioca, o anúncio do já polêmico “novo Museu Marítimo”, numa das áreas mais importantes da paisagem cultural da Cidade – o Cais dos Mineiros, na entrada da Baía.

65787142_ancelmo_gois_-_exclusivo_-

Reproduções

E o que isso tem a ver com Buenos Aires e o bairro San Telmo  e com o Rio e o “novo” Museu Marítimo? Tudo a ver. Sobretudo quando o tema é a preservação da “cara” da Cidade.

Buenos Aires tem feições e características que a singularizam. E por que sentimos isso quando flanamos por lá?

Porque lá não se demole continuamente o que foi construído. O que está feito, está feito. Deixam o que está construído existir, incorporando-se à paisagem afetiva da cidade.  

rua do bairro

Rua do bairro de San Telmo – Buenos Aires

O bairro de San Telmo é isso;  suas construções não são necessariamente “velhas”, antigas ou coloniais. O que está lá edificado fica lá, meio misturado e às vezes pouco conservado. Porém, dinâmico, vivo.

Quando passeamos pelo bairro temos a certeza que estamos em Buenos Aires e não em qualquer outra cidade do mundo. O que foi construído passa a pertencer à paisagem da cidade e passa a ser respeitado.

portas em casas do bairro

San Telmo – portas em casas do bairro

A polêmica do “novo” museu da Marinha é o contrário disso. Uns argumentam que ele é novo, pois foi totalmente reformulado em 1996, imitando um prédio português, sendo um falso histórico. É, precisam mesmo explicar muito isto – que ele não merece ser preservado porque ele não é velho o suficiente. Confunde-se aí o velho com o histórico.

Contudo, parece que o prédio que lá está, apesar de não ser “velho”, já é histórico na paisagem do Rio e aos olhos dos cariocas.  Ele já se integrou afetivamente na paisagem urbana da Cidade, e por isso merece ser respeitado. 

Se o Rio continuar no processo de substituição de tudo, – o velho porque já está velho, e o novo porque ainda não está velho -, vai perder, definitivamente, a sua cara urbanística. E com ela a memória afetiva da cidade construída pelas gerações que nos antecederam.

Apesar da nossa magnífica paisagem natural, perderemos a paisagem cultural e vamos todos passear em Buenos Aires, para ver como uma cidade preserva sua identidade urbanística, a sua cara.

Confira também:

Artigos da arquiteta urbanista Andrea Redondo:

“Áreas da marinha continuam em foco – Novo Museu e nova polêmica à vista”

“Cais dos Mineiros – Mais sobre o novo Museu da Marinha”

Coluna Ancelmo Gois 21.03.2017

“Marinha explica: prédio que dará lugar a novo museu não é `histórico´, mas de 1996

Deixe um comentário



* campos obrigatórios.
  • Fundação Bio-Rio, na UFRJ: alvo de investigação do MP 13 | Abril | 2017
    Fundação Bio-Rio, na UFRJ: alvo de investigação do MP
    0

    Mais um caso de ilícito financeiro envolvendo uma fundação de pesquisa, no campus tecnológico do Fundão, da precarizada UFRJ. Este caso ocorre na vida universitária, no campus da maior e mais antiga universidade federal no Rio, ao lado da área que o Município do Rio, no governo Paes, cedeu cinco hectares de terras públicas, por 50 anos, de graça, à General Electric (GE), na Ilha de Bom Jesus, para que esta empresa ali construísse seu edifício de pesquisa tecnológica! Leia aqui. (mais…)

  • América F.C. – História diz que shopping não salva clube 5 | Abril | 2017
    América F.C. – História diz que shopping não salva clube
    0

    Neste artigo do Urbe Carioca, a arquiteta urbanista Andréa Redondo destaca que “do mesmo modo que não há garantia de que estádios resolverão os problemas financeiros dessas instituições, é de se indagar se liberar a construção de shoppings, à custa do solo e da paisagem urbanas, salva clubes de futebol. E se salvar clubes de futebol à custa do solo urbano é devido”. Confira aqui. (mais…)

  • A faculdade de Engenharia de Buenos Aires: conheça por fotos. 29 | Março | 2017
    A faculdade de Engenharia de Buenos Aires: conheça por fotos.
    0

    Não sei se os estudos são bons, mas o prédio impressiona. E isso já é bom. A Faculdade de Engenharia, fica na Av. Paseo Colón. Seu prédio é uma construção imponente. Sensibilizou-me que ele subsista como escola pública. É a tradição mantida.   Por fora, bem cuidado. Por dentro, com a dinâmica de uma faculdade: cartazes, reivindicações, bicicletas guardadas, fotos de esportes e também a memória dos desaparecidos.   Veja o pequeno album de fotos especial para este tema.  

  • “Anatomia de um crime” 23 | Março | 2017
    “Anatomia de um crime”
    0

    Nesta reportagem, na qual fui uma das entrevistadas, a Agência Pública percorre a história do Maracanã, patrimônio cultural destruído com autorização do Iphan e abandonado pelo poder público depois de mais de R$ 1,3 bilhão gasto em obras suspeitas de alimentar a corrupção. Confira aqui. (mais…)

  • Áreas da Marinha continuam em foco: novo museu e nova polêmica à vista 22 | Março | 2017
    Áreas da Marinha continuam em foco: novo museu e nova polêmica à vista
    0

    Neste artigo, a arquiteta urbanista Andrea Redondo destaca que a imagem de projeto para a construção de um “novo museu” na cidade do Rio de Janeiro, onde funciona o Espaço Cultural da Marinha, publicada na mídia, já causa polêmica nas redes sociais.  (mais…)

  • Ruptura da reforma da Previdência 22 | Março | 2017
    Ruptura da reforma da Previdência
    0

    Notícia sobre a retirada dos servidores estaduais e municipais do texto da reforma da Previdência faz sua ruptura definitiva entre categorias de brasileiros. O argumento de que a retirada dos servidores públicos estaduais e municipais da reforma preserva a autonomia federativa e reduz o risco de judicialização é juridicamente falso. (mais…)

San Telmo - Março de 2017

Galeria completa aqui