Receba meu informativo


NÚMERO DE ARTIGOS:348

14 | Agosto | 2013
Professores maltratados = greve no Rio

Share on Facebook212Tweet about this on Twitter5
1

Confiram a carta do Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação sobre a situação dos professores do Estado do Rio de Janeiro.

Nesta quarta-feira, dia 14, milhares de profissionais da Educação reivindicaram os seus direitos em grande passeata na cidade. 

De longa data, observamos que não somente várias escolas sofrem com a falta de ação do poder público, mas também os professores tornaram-se alvos do não cumprimento de promessas e da falta de valorização. Por quê?

Leia mais ...

13 | Agosto | 2013
Professor “boia fria”: perto do fim no Rio?

Share on Facebook227Tweet about this on Twitter8
0

No dia 1º de agosto, o prefeito enviou à Câmara Municipal do Rio o projeto de lei 352/2013para alterar na lei 1881/1992 tão somente o artigo que se refere ao professor do ensino básico em regime de 40 horas (inciso IV do artigo 10).

A proposta de lei reafirma que o professor do ensino básico do Município pode ter, quando assim optar, a jornada de 40 horas – agora, sem o regime de “dedicação exclusiva”, como quer o projeto.

Leia mais ...

28 | Fevereiro | 2013
STF: piso dos professores e jornada de 40 horas

Share on Facebook274Tweet about this on Twitter10
5

O STF garantiu, na tarde desta quarta-feira, dia 27, que o pagamento do piso “salarial dos profissionais do magistério público da educação básica“(1), conforme definido em lei, é devido a partir da conclusão do julgamento definitivo, em 2011, da ação judicial que o questionava no STF (ADI 4167).

Com isso, os Estados e Municípios que não estão pagando o piso terão que pagar aos professores os atrasados devidos, a partir 27 de abril de 2011, data do julgamento definitivo da constitucionalidade da norma, pelo Plenário do STF.

Leia mais ...

18 | Fevereiro | 2013
Educação em tempo integral: professores cortados?

Share on Facebook5Tweet about this on Twitter2
4

No Rio é assim: anuncia-se, com pompa e circunstância, que o turno de horário integral será implantado – no futuro – para alunos do ensino fundamental da rede pública e, na prática, o Governo do Rio extirpa os direitos dos professores com dupla regência.

Como fazer escolas em tempo integral sem professores com jornada de trabalho de 40 horas?

Leia mais ...

14 | Março | 2012
Direito do Professor é fundamental !

Share on Facebook3Tweet about this on Twitter2
1

O Município está cumprindo a lei federal nº 11.738 que estipula 1/3 da carga horária do professor para atividades extraclasse – e que também cria o piso nacional do magistério ? 

1. Em abril de 2011, o Supremo Tribunal Federal julgou constitucional o dispositivo que prevê que o regime de 40 horas, com o piso básico estabelecido na lei, teria a seguinte composição: máximo de 2/3 em sala de aula, chamado pela lei de “atividades de interação com os educandos” (art.2º §4º).

Ou seja, 1/3 do trabalho do professor deve ser realizado fora da sala de aula, com a preparação das tarefas e correção de trabalhos, atividades essenciais a qualquer atividade de magistério.
2. Estados e municípios deveriam aplicá-los imediatamente. E, até retroativamente, já que parte da lei deveria ter vigência desde 2009, e a outra a partir de 2010.
Entretanto, conforme já alertamos, em todo o Brasil, e também no município do Rio de Janeiro, esta lei ainda não “pegou”! Professores continuam sem os seus direitos de ter, em suas jornadas, o direito ao tempo para preparação de aulas e correção de trabalhos.

Questionamos a Secretária de Educação, Cláudia Costin, durante audiência pública em outubro do ano passado. Confira no vídeo abaixo:

A Secretaria de Educação continua a descumprir tanto a lei, quanto seus compromissos assumidos publicamente. É preciso que a mesma especifique quais escolas ainda não estão em conformidade com a lei federal 11.738!

Dupla Regência

3. Milhares de professores do Ensino Básico trabalham 40 horas e são pagos regularmente por 20 horas, e as outras 20 são pagas como se fossem “boias frias”, por meio de um artifício que tem o “codinome” de encargos especiais.

E essas outras 20 horas – a chamada de dupla regência – ficam de fora do pagamento regular de seus direitos estatutários e previdenciários.

Cabe à Secretaria Municipal de Educação cumprir promessa feita durante a Audiência Pública do Orçamento, que aconteceu na Câmara Municipal em 2011, garantindo a todo professor da rede municipal, a partir de 2012, a manutenção da jornada de 40 horas para aqueles que optarem por esse regime.

Consequentemente, é necessário corrigir a designação “dupla regência”, bem como a rubrica de remuneração: de “encargos especiais” para a rubrica correta que é vencimento! (Leia mais)

Manifestação e reivindicações

Em tempo: hoje, 14 de março, os profissionais das escolas estaduais e municipais farão uma paralisação de 24 horas. Durante a manhã, na Cinelândia, as redes de ensino estadual e municipal do Rio farão um ato público conjunto em defesa da escola pública e para reivindicar melhores salários.

Os profissionais da rede estadual (cerca de 72 mil profissionais que trabalham nas 1.600 escolas) já iniciaram a campanha salarial de 2012. Entre outras reivindicações, estão o reajuste de 36% e a incorporação imediata da gratificação do programa Nova Escola.

A rede municipal do Rio (cerca de 34 mil profissionais, que atuam nas 1.064 escolas municipais na capital) também está em campanha salarial e reivindica um reajuste de 20%.
Outra reivindicação comum às duas redes é o cumprimento. por parte dos governos, da lei federal nº 11.178, que estipula 1/3 da carga horária do professor para atividades extraclasse – e que também cria o piso nacional do magistério.
 
Os governos estaduais pediram no Supremo Tribunal Federal (STF) a declaração de inconstitucionalidade da lei, mas o STF decidiu pela sua validade. Mesmo com a decisão do Supremo, os governos estaduais vêm se recusando a aplicar a lei, o que fez com que o Sindicato dos Profissionais de Educação do Rio, no começo do ano, entrasse com uma ação na justiça estadual, exigindo seu cumprimento por parte da prefeitura do Rio e do governo do estado.

(Leia a nota do Sindicato na íntegra aqui.) 

Leia mais ...


 
  • Barqueato 27 | Maio | 2015
    “Pelo Direito à Cidade”

    As assembleias populares da Cinelândia e do Largo do Machado e o Movimento "Ocupa Marina da Glória" convocam toda a população para participar, no próximo sábado, dia 30, às 15h, de uma tarde de conscientização sobre o que vem sendo feito na Marina da Glória. 

Arqueologia histórica sob pressão urbana

Galeria completa aqui

Espaço


Rio 2016 e os danos ao meio ambiente

Crédito: teleSUR tv

  • Centro de Tênis Olímpico custa a proteção das Cidades Históricas do Brasil 28 | Maio | 2015
    Centro de Tênis Olímpico custa a proteção das Cidades Históricas do Brasil
    0

    Indignação. Esta foi a sensação ao colocar lado a lado duas notícias sobre os orçamentos do Ministério dos Esportes e do Ministério da Cultura, conforme noticiado no jornal "O Globo", nesta quinta-feira, dia 28 de maio: 1ª - O Centro de Tênis Olímpico na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, aumentou seu custo, a ser pago pelo governo federal, de R$ 174 milhões para R$ 184 milhões. Serão 16 quadras, sendo que a metade será demolida após a Olimpíada, de acordo com a notícia. 2ª - Já o orçamento do Ministério da Cultura cortou os investimentos do seu programa de recuperação de todas as Cidades Históricas do IPHAN (PAC de Cidades Históricas Brasileiras) de R$178 milhões para R$115 milhõessegundo publicação do  referido jornal, em seu Segundo Caderno.   Para todo o Brasil e todas as cidades e conjuntos urbanos declarados como patrimônio cultural brasileiro! Nada mais a declarar. Reclamar de quê? Dinheiro não falta. É uma questão de opções e de escolhas, sempre.
  • Astrofísico americano adere à essencialidade do Planejamento Urbano 18 | Maio | 2015
    Astrofísico americano adere à essencialidade do Planejamento Urbano
    0

    Brian Schmidt, Prêmio Nobel de Física em 2011, em entrevista publicada no jornal "O Globo",  assevera que a questão das mudanças climáticas é o tema mais importante em debate para a sobrevivência do planeta. E as cidades estão no centro desta discussão, já que nas próximas décadas, com a população humana crescendo exponencialmente, seremos cada vez mais urbanos.
  • Exemplo francês: equiparação de vencimentos de funcionários públicos 14 | Maio | 2015
    Exemplo francês: equiparação de vencimentos de funcionários públicos
    1

    Greve de professores, greve do pessoal da Justiça, greve de vários segmentos do funcionalismo público. É que uns ganham muito bem e outros muito mal. No Estado do Rio, até estagiário da Assembléia Legislativa pode ganhar mais do que professor, por lei recentemente aprovada por aquele parlamento!
  • Corte de árvores não autorizado pelo IPHAN 17 | Abril | 2015
    Corte de árvores não autorizado pelo IPHAN
    0

    Durante audiência pública no Ministério Público Federal do Rio, realizada hoje, sobre o projeto de revitalização da Marina da Glória, foi dito que o IPHAN não autorizou, até o momento, qualquer corte de árvores no Parque do Flamengo. Isso significa que a devastação ambiental contra centenas de árvores no bem tombado é ilegal e já deveria ter sido embargada.
  • Quando um Ministro do STF não cumpre a lei, temos um supremo mau exemplo 5 | Abril | 2015
    Quando um Ministro do STF não cumpre a lei, temos um supremo mau exemplo
    1

    O caso do pedido de vistas do Ministro Gilmar Mendes no processo que julga a inconstitucionalidade da contribuição de empresas nas campanhas eleitorais é um supremo caso de desesperança institucional que assola o país.