Receba meu informativo

Manaus: o Centro Histórico e o seu magnífico teatro. Uma homenagem …

0

Mais uma homenagem nos 80 anos do Decreto-lei 25/37. Posto aqui alguns registros fotográficos do interior do magnífico Teatro de Manaus,construído há mais de um século (1896), muito bem restaurado e conservado. As fotos são de 2013, e espero que ele continue ainda tão bem quanto estava à época. 

 

No seu entorno, infelizmente, há algumas edificações de prédios que, sem dúvida, comprometem a sua visibilidade. Entendemos como visibilidade o conceito de entorno, ambiência

Essas edificações em altura, e que depois de uns poucos anos estão pessimamente conservadas, certamente foram licenciadas antes do tombamento do Teatro, ou sem a autorização do IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). Assim creio e espero.

 

Três conclusões chego em relação a esta mácula na ambiência do Teatro:

1º – Não são dois ou três prédios altos que promovem o desenvolvimento de uma cidade; nem a sua densificação (hoje, um conceito muito usado, para combater o espraiamento indesejado das cidades). Ao contrário, prédios altos e mal conservados – porque mais caros na sua conservação nas altura -, podem ser símbolos de frouxidão no planejamento urbano.

2º – Também não são os prédios altos que resolvem os problemas habitacionais em uma cidade, senão as cidades como Manaus e todas as outras brasileiras não teriam mais favelas!

3º – Faz-se cada vez mais necessárias as portarias que regulamentam, previamente, a forma de ocupação do entorno (vizinhança) dos bens tombados, de maneira a prevenir que investidores comprem terrenos por preços que incorporam índices altos de edificação na vizinhança de bens tombados; assim quando esses investidores pedirem, no futuro suas licenças de construção, venham descobrir que não podem edificar tudo o que pretendiam.

Prédios altos podem ser bem-vindos, mas não em qualquer lugar, e de qualquer forma. O planejamento previne e resguarda a estética, a beleza e a ambiência de nossas cidades.

Cidades que são de todos os cidadãos e não somente dos proprietários urbanos.

Leia também:

Centro Histórico de Manaus: tombamento confirmado no STF nos 80 anos do DL 25/37

Deixe um comentário



* campos obrigatórios.
  • Bens históricos abandonados ou fechados no Rio 30 | Novembro | 2017
    Bens históricos abandonados ou fechados no Rio
    0

    Neste artigo do Urbe CaRioca, o arqueólogo e defensor do patrimônio cultural Cláudio Prado de Mello apresenta um elaborado trabalho com os principais bens históricos abandonados ou fechados no Rio de Janeiro. Confira aqui.

  • #BrasilComLei: Toffoli tem prazo normativo para dar uma “vista” no processo e devolvê-lo 24 | Novembro | 2017
    #BrasilComLei: Toffoli tem prazo normativo para dar uma “vista” no processo e devolvê-lo
    0

    Os ministros, como os antigos reis, estariam imunes aos mandamentos da lei? Não é verdade a afirmação de que não há prazo para que o ministro Toffoli devolva a julgamento o processo sobre privilégio de foro e que pediu vista. Se não cumpre o prazo, o ministro está descumprindo a norma. Cabe ao Tribunal a que pertence fazê-lo respeitar a normativa. Ainda que não haja uma sanção direta, há, por analogia formas de fazê-lo. Os cidadãos esperam que o cumprimento da norma, e o bom exemplo venha, sobretudo, do Supremo, juízes que mandam aplicar a lei a todos os demais cidadãos.  Vejam as normas que dispõem sobre os prazos de vista:  (mais…)

  • STF: (…) “E discutem com grande cultura e estupidez”… 6 | Novembro | 2017
    STF: (…) “E discutem com grande cultura e estupidez”…
    0

    Citando o jurista uruguaio Eduardo Couture, o ministro Luiz Fux, em entrevista à Folha de S.Paulo (confira aqui), referiu-se assim às discussões televisivas entre os ministros: …”um homem [ministro] se enamora de uma ideia, o outro se enamora de outra ideia. E discutem com grande cultura e estupidez…”.  (mais…)

  • “Os 90 dias que abalaram o mundo olímpico: Eike Batista e a caixa-preta que falta ser aberta” 20 | Outubro | 2017
    “Os 90 dias que abalaram o mundo olímpico: Eike Batista e a caixa-preta que falta ser aberta”
    0

    história olímpica nunca mais poderá ser contada sem um grande capítulo destinado ao Rio-2016. Não pela bela festa de abertura, mas pela porta dos fundos, coberta de uma mancha de corrupção. (mais…)

Cadastre-se

Receba notificações de novas publicações

 

Bens históricos abandonados ou fechados no Rio

Crédito: Claudio Prado de Mello
               

Cadastre-se

Receba notificações de novas publicações

Paisagem Cultural do Rio ameaçada pela obstrução de prédios

Galeria completa aqui

 

Setembro/2017 - Praça em frente ao Teatro do Centro Histórico de Manaus

Crédito: Sonia Rabello